Sobre o Vazio

 

A Espera – Cícero Dias – 1932 – Acervo do Itaú Cultural

 

 

Às vezes, existe um vazio dentro da gente. Ele pode ser grande, enorme ou apenas um pequeno incômodo. Geralmente, todos nós queremos preencher esse vazio.

Muitos preenchem com roupas, acessórios e coisas que a gente pode colocar sobre o corpo. Essa é uma forma perigosa de preencher o que falta, porque quanto mais você se enche de coisas, mais vazio vai ficar o seu bolso. E o que é pior: vai sempre faltar algo.

Outra forma é tentar saber tudo, ler tudo, assimilar tudo. Ver todos os filmes, ler todos os livros, conhecer todas as pessoas ‘relevantes’. Também é uma busca sem fim. Sempre vai haver algum assunto no qual vamos ser ignorantes ou algum autor de quem nunca ouvimos falar. Entendam bem, não sou contra o conhecimento. Sou contra o esnobismo intelectual que exclui pessoas e faz com que esqueçamos de nós mesmos. Pensar demais pode ser um problema…

Mas, na maioria das vezes, esse vazio que todo mundo tenta preencher loucamente precisa existir. É parte do equilíbrio. Aceitar esse vazio é aceitar a dualidade de todas as coisas; é aceitar o silêncio de não dizer nada; é aceitar a perda quando não se ganha; é aceitar o fim que não queremos.

Aceitar o vazio também é aceitar uma parte de nós que precisa ser e ficar leve, talvez à espera, quando chegar alguma coisa realmente importante. Deixe um espaço vazio na estante, na parede, não ocupe uma cadeira. Faça um exercício de espera, de assentamento, de contemplação.

O vazio pode ocupar um espaço importante na sua vida. E isso não é triste: é deixar aberta uma porta para uma oportunidade que ainda não recebemos.

 

About these ads

25 comentários a “Sobre o Vazio”

  1. ai, eu queria fazer um puta comentário inteligente/sagaz/metafísico, mas fiquei tão feliz com seu ‘reaparecimento que, no momento, nada assim me vem sobre o vazio, a não ser que, em momentos como esse, a gente acaba equecendo da dor de todos nós…

  2. Ummmm….interessante; dois comentários:
    1. anos de análise e a mensagem era uma só: o preenchimento é de DENTRO PRA FORA…..
    2. mais alguns anos de análise e o trabalho era um só: aguentar a angústia de estar só, a angústia do vazio e do que sempre estará em falta…

  3. Oi, Re, já estava com saudades!!! Há quanto tempo não nos falamos. Lindo o seu texto… que poético esse seu “vazio”, carregado de alma, de inspiração… Ah, não sei o que dizer. Fica então o silêncio e a contemplação. Beijocas

  4. Vivo reclamando do meu vazio que tento preencher a todo custo e esse texto abriu uma nova perspectiva sobre o assunto. Talvez o vazio não precise mesmo ser preenchido.

    Adorei.

  5. Re, vc voltou!!! Vi hoje no Greader, que bom! :D Eu nem consegui responder seu email, surgiram estresses bizarros de trabalho (acompanhamento em gráfica de madrugada, impressão dando errado, prejuízo…essas coisas que tiram a gente de si).

    E…que volta triunfal, Re. Puxa vida. Como diz a Sandra, prefiro admirar no silêncio, na contemplação. Bravo.

    Beijos!

  6. ai re… seu texto caiu como uma luva. me desculpe por ser essa amiga relapsa.

    eu to mt triste pelo jeito q eu ando t tratando. minha vida tem dado tantas voltas q eu to perdida

    me desculpa?? te vejo qd???

    bjs

  7. Adorei seu texto e compartilho da mesma idéia, pois muitas vezes temos que deixar que o vazio fique por um tempo, a fim de brotar novidades e, algumas vezes são muito boas.
    bjs cariocas

  8. Olá querida! Adorei o seu cantinho! Tem muita coisa boa, tudo muito atual e cheio de dicas preciosas!
    Como andei navegando, achei seua golinha toda em trico, da receita da pingouin. Será que vc poderia me dizer como fez ou como se faz para o trabalho não ficar esburacado quando se passa para os pontos seguintes ao da ida e volta entre a gola, meio e final do trabalho? O meu ficou todo esburacado, assim como outra receita de um casaquinho de bebê no mesmo estilo. Eu tentei de tudo, peguei um ponto de baixo, torci o ponto da frente e nada…
    Espero que possa me ajudar!
    Beijos Renata!
    Vou te add lá no meu cantinho, tá?

    Samantha Gemellaro.

  9. Nossa disse tudo mas parece que faltou algo a ser dito,deixa pra la faz parte nao e mesmo,nao a conheço,mas parece que somos velhas conhecidas,ate mais.Beijos.

  10. Renata!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Que lindo isso que vc escreveu!
    NA verdade , seu blog e lindo, o descobri ontem, e estou apaixonada por ele.
    Tomei a liberdade de copiar seu texto e posta-lo no facebook ok?!Espero que nao tenha sido mta invasao, mas creio que mtos precisam saber disso, deste vazio que nao precisa ser preenchido.
    Excelente dia!
    Abraços

    Andrea Casimiro

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s